Concepções de gênero dos/as estudantes no Curso Normal de Nível Médio

Autores

DOI:

https://doi.org/10.15536/reducarmais.5.2021.2289

Palavras-chave:

Gênero, Estereótipos, Ensino de Ciências

Resumo

Este relato tem como temática as relações de gênero na formação inicial de professores/as. Teve como objetivo compreender as concepções dos estudantes do Curso Normal sobre gênero, com o intuito de desconstruir os estereótipos sociais instituídos. Esta pesquisa em educação, de abordagem qualitativa, foi realizada através de uma pesquisa-ação. Primeiramente desenvolveu-se uma pesquisa bibliográfica com autores da área, em seguida foi realizada a aplicação de um questionário a 27 estudantes de uma escola estadual de Santa Rosa/RS. As análises dos resultados foram realizadas por meio de categorias definidas a priori, que são: concepção de gênero; importância do estudo das temáticas; participação em atividades referentes à sexualidade e gênero. Ao final das atividades propostas nesta intervenção, percebeu-se que muitos estudantes mudaram suas concepções, adquirindo e desenvolvendo conhecimentos acerca da temática. A partir disso, é possível compreender que é importante trabalhar, com os alunos, assuntos que ainda hoje são considerados tabus, e fazer isso por meio de uma perspectiva dialógica é primordial, uma vez que a escola tem o papel de formar cidadãos críticos e reflexivos, de formar para a cidadania.

Biografia do Autor

Marcieli Luísa Zimmer, Instituto Federal Farroupilha

Formada no Curso Normal / Magistério Nível Médio no Instituto Estadual de Educação Visconde de Cairu (2018) com habilitação em docência na Educação Infantil e Anos Iniciais do Ensino Fundamental. Atualmente é Monitora da Educação Básica do Fundamental I da Fundação Educacional Machado de Assis e Acadêmica do Curso de Licenciatura em Ciências Biológicas no Instituto Federal Farroupilha Campus Santa Rosa.

Rúbia Emmel, IFFar Campus Santa Rosa

Possui Licenciatura em Pedagogia, pela Sociedade Educacional Três de Maio - SETREM (2008), Especialização em Educação Infantil e Alfabetização (2009), Mestrado em Educação Nas Ciências pela Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul - UNIJUI (2011) e Doutorado em Educação Nas Ciências pela Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul - UNIJUI (2015). Durante o Curso de Doutorado, participou de Projeto de Pesquisa: Concepções de Saúde e Educação para a Saúde na formação continuada de Professores: contribuições a organização curricular da educação básica e superior, no Centro de Investigação e Estudos da Criança, da Universidade do Minho, Braga, Portugal. Atuou como Pedagoga/Técnica Administrativa em Educação, junto ao Departamento de Ensino do Câmpus Feliz, do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul. Foi professora de ensino superior, no Curso de Licenciatura em Pedagogia da Sociedade Educacional Três de Maio/SETREM. Foi Professora Adjunta, Magistério Superior, no Curso de Licenciatura em Pedagogia, da Universidade do Tocantins - UFT, Câmpus Arraias.Atuou como Professora de Ensino Básico, Técnico e Tecnológico, no Instituto Federal do Rio Grande do Sul, IFRS, Câmpus Feliz, na área da Pedagogia. Atualmente é Professora de Ensino Básico, Técnico e Tecnológico, no Instituto Federal Farroupilha, IFFAR, Câmpus Santa Rosa, na área de Pedagogia, nos Cursos de Licenciatura em Matemática e Licenciatura em Ciências Biológicas.Professora Colaboradora do Quadro permanente do PPGEC - Mestrado em Ensino de Ciências. Pesquisadora do Grupo de Estudos e Pesquisa em Políticas Públicas Educacionais e Práticas Pedagógicas - GEPPEPPE, UFFS (Universidade Federal Fronteira Sul). Pesquisadora do Grupo de Estudos em Formação Docente, IFFAR. Tem experiência na área de Educação, com ênfase na Pedagogia, atuando principalmente nos seguintes temas: Currículo, Formação de Professores, Fundamentos e Metodologias do Ensino de Ciências, Educação Infantil, Pesquisa em Educação, Pesquisa-ação, Práticas de Ensino e Estágio Supervisionado, livro didático, cultura escolar, Gestão Educacional, Coordenação Pedagógica.

Luana Gabriele Spengler Fischer, IFFar Campus Santa Rosa

Formada no Curso Normal/ Magistério Nível Médio no Instituto Estadual de Educação Visconde de Cairu (2018) com habilitação em docência na Educação Infantil e Anos Iniciais do Ensino Fundamental. Atualmente é acadêmica do Curso de Licenciatura em Ciências Biológicas no Instituto Federal Farroupilha Campus Santa Rosa. https://orcid.org/0000-0003-4385-1836

Gustavo Felipe Bastian, IFFar Campus Santa Rosa

Acadêmico do Curso de Licenciatura em Ciências Biológicas no Instituto Federal Farroupilha Campus Santa Rosa.

Referências

ALARCÃO, I. Professores reflexivos em uma escola reflexiva. 7. ed. São Paulo: Cortez, 2010.

BRASIL. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Lei nº 9.394/96, 20 de dezembro de 1996.

COLLING, A. M.; TEDESCHI, L. A. Dicionário crítico de gênero. Dourados: Ed. Universidade Federal da Grande Dourados, 2019.

CRUZ, E. F. Banheiros, travestis, relações de gênero e diferenças no cotidiano da escola. Revista Psicologia Política. São Paulo, v. 11, n. 21, p. 73-90, jun. 2011.

DAMASCENO, Janaína. O corpo do outro: construções raciais e imagens de controle do corpo feminino negro: o caso da Vênus hotentote. In: Seminário Internacional Fazendo Gênero, 8, 2008, Florianópolis. Anais… Florianópolis: UFSC, 2008. Disponível em: <http://www.fazendogenero.ufsc.br/8/sts/ST69/Janaina_Damasceno_69.pdf> .Acesso em 02 Nov. 2019.

FONSECA, J. J. S. Metodologia da pesquisa científica. Fortaleza: UEC, 2002.

FRAZÃO, L. M.; ROCHA, S. L. Gestalt e gênero: configurações do masculino e feminino na contemporaneidade. São Paulo: Livro Pleno. 2005

GOELLNER, S. A educação dos corpos, dos gêneros e das sexualidades e o reconhecimento da diversidade. Cadernos de Formação RBCE, março de 2010.

LOURO, G. L. Nas redes do conceito de gênero. In: LOPES, M. (Org.). Gênero e saúde. Porto Alegre: Artes Médicas, 1997.

LUDKE, M.; ANDRÉ, M. E. D. A. Pesquisa em educação: abordagens qualitativas. São Paulo: EPU, 1986.

PEREIRA, M. E.; MODESTO, J. G.; MATOS, M. D. "Toward a new definition of stereotypes: empirical test of the model in a first experimental scenario/Em direção a uma nova definição de estereotipos: teste empírico do modelo num primeiro cenário experimental." Psicologia e Saber Social, vol. 1, n. 2, p. 201-220, dez., 2012.

RIBEIRO, V. M. A formação de educadores e a constituição da educação de jovens e adultos como campo pedagógico. Educação & Sociedade, Campinas, v. 20, n. 68, p. 184-201, dez., 1999.

Vygotsky, L. S. (1978). Interaction between learning and development (M. Lopez-Morillas, Trans.). In M. Cole, V. John-Steiner, S. Scribner, & E. Souberman (Eds.), Mind in society: The development of higher psychological processes (pp. 79-91). Cambridge, MA: Harvard University Press.

WEEKS, J. Invented moralities: sexual values in an age of uncertainty. Nova York: Columbia University Press, 1995.

Downloads

Publicado

2021-04-24

Como Citar

Zimmer, M. L., Emmel, R. ., Spengler Fischer, L. G., & Bastian, G. F. (2021). Concepções de gênero dos/as estudantes no Curso Normal de Nível Médio. Revista Educar Mais, 5(3), 557-569. https://doi.org/10.15536/reducarmais.5.2021.2289

Edição

Seção

Artigos