Adaptando materiais didáticos do ensino presencial para o ensino remoto

Autores

DOI:

https://doi.org/10.15536/reducarmais.5.2021.2381

Palavras-chave:

material didático, ensino remoto não-presencial, infográfico

Resumo

A crise gerada pela pandemia de COVID-19 forçou a adesão das instituições de ensino ao ensino remoto não-presencial como uma alternativa para dar continuidade ao ano letivo, o que revelou diversas barreiras, entre elas a adaptação, por parte de docentes, do material didático para esta modalidade digital. Este artigo apresenta, a partir de uma revisão bibliográfica com abordagem qualitativa, levantamento de dados a respeito da produção de material didático para o ensino a distância, com o objetivo de identificar algumas formas com que os materiais didáticos desenvolvidos para o ensino presencial podem ser adaptados para o ensino remoto não-presencial. Para isso, foi realizada uma pesquisa no banco de dados Google Scholar buscando artigos, capítulos de livros e recomendações combinando as palavras-chave “material didático” & “educação a distância” e “material didático” & “ensino remoto”. A partir dessa busca, foram selecionadas e analisadas as referências que tratavam especificamente das características desses materiais para, por fim, apresentar recomendações para a produção de material didático para o ensino remoto, no formato de um infográfico.

Biografia do Autor

Bruna Ferreira Gugliano, Instituto Federal Sul-rio-grandense

Doutoranda em Design pelo Programa de Pós-Graduação em Design com ênfase em Tecnologia da UFRGS, Mestre em Design pelo mesmo Programa (2018); graduada em Bacharelado em Design Digital na Universidade Federal de Pelotas (2013) e em Licenciatura em Formação Pedagógica para Graduados não Licenciados (2021). Trabalha como designer educacional na produção de cursos EaD da Coordenadoria de Produção de Tecnologias Educacionais (Departamento de Educação a Distância e Novas Tecnologias - DETE/IFSUL). Atua, desde 2018, como docente nos cursos de Pós-Graduação em Comunicação e Marketing Estratégico (disciplina Mídias Digitais) e Pós-Graduação em Desenvolvimento de Aplicações Web e Mobile (disciplina User Experience) na Faculdade de Tecnologia SENAC Pelotas. Atualmente está como professora substituta no IFSUL nos cursos: Bacharelado em Design, Técnico em Comunicação Visual e Técnico em Design de Interiores.

Ricardo Lemos Sainz, Instituto Federal Sul-rio-grandense

Possui graduação em Engenharia Agrícola pela Universidade Federal de Pelotas (1999), graduação em Licenciatura Plena Currículo Especial Química pela Universidade Tecnológica Federal do Paraná (1995), graduação em Agronomia pela Universidade Federal de Pelotas (2002),Especialização em Sociologia e ciência política pelo ISP - UFPel (1999), Mestrado em Engenharia e Ciência de Alimentos pela Fundação Universidade Federal do Rio Grande (2001) e Doutorado em Ciência e Tecnologia Agroindustrial pela Universidade Federal de Pelotas (2006). É graduando em Direito pela UFPel. Atualmente é Professor Titular do Magistério Federal, Carreira de Ensino Básico, Técnico e Tecnológico, lotado na Coordenadoria de Ciências da Natureza - Química do Campus Pelotas.

Referências

BARMPALIOU, Nayia. Amenazas emergentes en ciberseguridad: implicaciones para América Latina y el Caribe. 2020. In: BANCO INTERAMERICANO DE DESAROLLO. Ciberseguridad: riesgos, avances y el camino a seguir en America Latina y el Caribe. 2020. Disponível em: https://publications.iadb.org/publications/spanish/document/Reporte-Ciberseguridad-2020-riesgos-avances-y-el-camino-a-seguir-en-America-Latina-y-el-Caribe.pdf. Acesso em: 08 nov 2020.

BRASIL. Referenciais de Qualidade para Educação Superior a Distância. 2007. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seed/arquivos/pdf/legislacao/refead1.pdf. Acesso em: 19 out 2020.

BRASIL, Lina Sandra Barreto; LEMOS, Alysson Feliciano; ROSA JR., Onivaldo. Microlearning, recomendação de estudos e rede social em curso autoinstrucional: a inovação no desenho da oferta do programa educacional modular de manejo da tuberculose na atenção básica. 2017. Disponível em: https://ares.unasus.gov.br/acervo/html/ARES/10586/1/MICROLEARNING%2C%20RECOMENDA%C3%87%C3%83O_Cap3.pdf. Acesso em: 18 dez 2020

CAROLEI, Paula. Processo de criação de hipertextos e atividades. In: KENSKI, Vani (org.) Design Instrucional para Cursos Online. São Paulo: Artesanato Educacional, 2019.

CARVALHO, Marie Jane Soares. 2013. Proposições e controvérsias no conectivismo. Revista Iberoamericana de Educación a Distancia, volume 16, no 2, p. 09-31.

CECIERJ. Primeiros passos para Ensino Remoto. 2020. Disponível em: https://canal.cecierj.edu.br/recurso/17375. Acesso em: 16 dez 2020.

CLARK, Ruth C.; MAYER, Richard E. E-learning and the science of instruction: Proven guidelines for consumers and designers of multimedia learning. John Wiley & Sons, 2016.

FILATRO, Andrea. Como preparar conteúdos para EAD. Saraiva Educação SA, 2018.

GARCIA, Tânia Cristina Meira et al. Ensino remoto emergencial: proposta de design para organização de aulas. Natal: SEDIS/UFRN, 2020.

HACK, Josias Ricardo. Introdução à educação a distância. Florianópolis: LLV/CCE/UFSC, 2011.

HINTERMANN, Francis. 2020. 3 Powerful Ways the Pandemic Is Changing Research Forever. Disponível em: https://www.accenture.com/us-en/blogs/accenture-research/3-powerful-ways-the-pandemic-is-changing-research-forever. Acesso em: 08 nov 2020.

HODGES, Charles et al. As diferenças entre o aprendizado online e o ensino remoto de emergência. Revista da Escola, Professor, Educação e Tecnologia, v. 2, 2020.

JOYE, Cassandra Ribeiro et al. MATERIAL DIDÁTICO PARA A EAD: AUTORIA E CRIATIVIDADE. EmRede-Revista de Educação a Distância, v. 5, n. 1, p. 149-166, 2018.

KENSKI, Vani Moreira. Tecnologias e ensino presencial e a distância. Papirus Editora, 2013.

KUKLINSKI, H. P.; COBO, Cristóbal. Expandir la universidad más allá de la enseñanza remota de emergência: ideas hacia un modelo híbrido post-pandemia. 2020. Disponível em: https://outliersschool.net/wp-content/uploads/2020/05/Expandir_la_universidad.pdf. Acesso em: 16 dez 2020.

LIMA, Artemilson; SANTOS, Simone. O material didático na EAD: Princípios e processos. 2019. Disponível em: https://ead.ifrn.edu.br/portal/wp-content/uploads/2017/07/Producao_de_Material_Didatico_Curso_de_Gestao_EaD.pdf. Acesso em: 12 dez 2020.

MILL, Daniel; SILVA, Aparecida Ribeiro da; GONÇALVES, Maria Ribeiro. Material didáticos para educação a distância. 2018. In: MILL, Daniel et al. (ed.). Dicionário crítico de educação e tecnologias e de educação a distância. UFSCar, 2018.

ROCHA, Sinara Socorro Duarte; JOYE, Cassandra Ribeiro; MOREIRA, Marília Maia. A educação a distância na era digital: tipologia, variações, uso e possibilidades da educação online. Research, Society and Development, v. 9, n. 6, p. e10963390-e10963390, 2020.

SANARMED. Linha do tempo do Coronavirus no Brasil. 2020. Disponível em: https://www.sanarmed.com/linha-do-tempo-do-coronavirus-no-brasil. Acesso em: 06 nov 2020.

TAPSCOTT, Don. Grown up digital. Boston: McGraw-Hill Education, 2009.

TORREZZAN, C. A. W.; BEHAR, P. A. Parâmetros para a construção de materiais educacionais digitais do ponto de vista do design pedagógico. In: BEHAR, Patricia (Org.). Modelos Pedagógicos em Educação a Distância. São Paulo: Artmed, 2009.

VIEIRA, K. M. et al.Vida de Estudante Durante a Pandemia: Isolamento Social, Ensino Remoto e Satisfação com a Vida. EaD em Foco, v. 10, n. 3, e1147, 2020.

Downloads

Publicado

2021-04-24

Como Citar

Gugliano, B. F., & Sainz, R. L. (2021). Adaptando materiais didáticos do ensino presencial para o ensino remoto. Revista Educar Mais, 5(3), 546-556. https://doi.org/10.15536/reducarmais.5.2021.2381

Edição

Seção

Artigos